Depender de terceiros gera direito a pensão mais alta, você sabia?

Além de estabelecer um valor 25% maior, a lei determina que o acréscimo deve ser dado mesmo que a aposentadoria já atinja o limite máximo legal
Ilustração Pixabay
Ilustração Pixabay

Além de estabelecer um valor 25% maior, a lei determina que o acréscimo deve ser dado mesmo que a aposentadoria já atinja o limite máximo legal

Pessoas que já estão aposentadas por invalidez e que dependem de outras pessoas para cumprir suas atividades de rotina – como aquelas com deficiência visual, paralisia de membros, restritas a uma permanência na cama, que perderam partes do corpo como pé, perna ou mão (mesmo que usem prótese), com saúde mental deteriorada a ponto de requerer vigilância constante de outrem -, têm direito a receber um adicional de 25% em cima do valor do benefício já concedido pelo INSS.

A lei que assegura esse direito é a 8.213/1991, em seu artigo 45. Além de estabelecer um valor 25% maior para esses casos, o dispositivo legal institui que o acréscimo fica garantido mesmo que o valor da aposentadoria já atinja o limite máximo legal, e pode ser recalculado se o benefício que lhe deu origem for reajustado. Ele só cessará com a morte do aposentado, mas não será incorporável ao valor de eventual pensão deixada por ele.

website oficial do INSS contém uma página que explica o passo a passo que deve ser seguido por quem quiser requerer o benefício. Nem é preciso de assessoria de advogado (a), o próprio beneficiário ou alguém em condições de ajudá-lo pode fazer o pedido online.

O segurado deve entrar em Meu INSS e, depois de fazer login no sistema, escolher a opção Agendamentos/Requerimentos e clicar em “novo requerimento”. Na sequência, clica em “avançar” e, no campo “pesquisar”, digita a palavra “acréscimo” e seleciona o serviço. Feita a solicitação, é acompanhar o andamento pelo Meu INSS, na opção Agendamentos/Requerimentos. Nos casos em que for indispensável o atendimento presencial para comprovar alguma informação, o beneficário será previamente comunicado.

A pessoa será avisada de quando deverá comparecer à unidade do INSS para a perícia médica – ou, se for o caso, tê-la agendada para ser feita em casa ou no hospital. Neste momento ela deve ter em mãos os laudos e relatórios médicos que apontem a necessidade da presença constante de terceiros. Outros documentos, como exames médicos e prescrição de remédios, também ajudam a decisão do perito. Se o benefício for negado, ainda será possível recorrer junto ao próprio INSS ou ingressar com uma ação na Justiça para obtê-lo.

Vídeo:

Esta matéria do Bom Dia Brasil que foi ao ar em 2018 abordou o direito ao adicional de 25%. Para assistir, clique aqui.

0 0 Votos
Avaliação do artigo
Se inscrever
Notificar de
guest
0 Comentários
Feedbacks em linha
Ver todos os comentários

Comente, pergunte ou sugira um tópico para nosso blog.

Artigos

Dia dos Advogados, poder da palavra, escuta empática e o Estado Democrático de Direito

É papel da Advocacia combater os ataques ao Estado Democrático de Direto. São intoleráveis as ameaças aos demais poderes e setores da sociedade civil e a incitação à violência e à ruptura da ordem constitucional.

Proteção à mulher

Enfrentar a violência contra mulheres no contexto das mudanças climáticas é preciso

Neste Agosto Lilás, entenda por quê os desastres ambientais e o escasseamento dos recursos naturais atingem mulheres e meninas com mais força e acentuam a violência de gênero

Direito Ambiental

Zelar por uma floresta é possível, prova o Canadá

Com 94% de áreas florestais sob gestão pública, os regulamentos e políticas exigem planejamento do uso da terra, respeito aos aborígenes, proteção do habitat da vida selvagem, disciplina na colheita de madeira e reflorestamento

0
Qual sua opinião sobre o assunto? por favor, comente.x